10/09/09

texto lamechas

Agora com mais calma, quero agradecer à malta amiga que ligou ou tentou ligar e quis aparecer no hospital. Mas se houve alguém a quem não tenha respondido, desculpem, já que em ser altura perdi-me a quem responder.
Quero agradecer à equipe do hospital do S. João que foram 5 estrelas na suas profissões.
E quero dizer à malta, que ser mãe não é fácil. Que venham dizer que o homem é que é o sexo forte, eu pergunto a esses: Já alguma vez tiveste 9 meses gravido e deste à luz alguma criança?
Meus amigos não é pêra doce.
Desde ter as hormonas alteradas, a coluna apertada, os órgãos internos mexidos, bexiga esmagada, ossos afastados, pés e mãos inchadas, uma barriga tal que não deixa dormir como queremos, a sensibilidade das mãos péssima, diabetes, tirar tubos e mais tubos de sangue para analises, quantidade de comprimidos como nunca vi, ver a barriga a mexer-se involuntariamente, insónias, dores de parto (que pelo que parece é algo digno de do filme da serie SAW), espetarem uma agulha do tamanho de um poste de electricidade na coluna, ter uma quantidade de tubos espetados nas veias, fazer uma criança sair pelo órgão genital, ser cortada com uma tesoura na zona genital, descolar o útero e puxa-lo cá para fora, voltar a ser cozida a camada de músculos e a de pele e ainda ter uma quantidade de gente a olhar e ainda uns e outros a meter as mãos por ali dentro... Eu não quereria, eu desistia e nem teria coragem para passar um único mês.
Sim, para a mim a mulher é mesmo mais forte que o homem. Se houver algum gajo que diga que passava por estas etapas todas, diria para escorregar num corrimão feito de uma lamina salpicada de sal e cair numa banheira com álcool etílico que lhe fazia bem melhor.
Enviar um comentário