12/05/09

Helena será.

O poder de ser pai (ou mãe) de decidir o nome de um ser humano e com isso o seu futuro, é algo realmente... hum, poderoso! Não deviam as crianças escolher um nome, assim como alguns nativos Norte Americanos quando atingem a puberdade?
Ficava nos primeiros anos com um nome provisório, e só depois um final escolhido por ele(a).
Já que não é assim... MARIA HELENA será.
Na mitologia grega, Helena (em grego, Ἑλένη – Helénē) era filha de Zeus e de Leda, irmã gêmea da rainha Clitemnestra de Micenas, irmã de Castor e de Pólux e esposa do rei Menelau de Esparta. Quando tinha onze anos foi raptada pelo herói Teseu. Porém seus irmãos Castor e Pólux a levaram de volta a Esparta Possuía a reputação de mulher mais bela do mundo. Helena tinha diversos pretendentes, que incluíam muitos dos maiores heróis da Grécia, e o seu pai adotivo, Tíndaro, hesitava tomar uma decisão em favor de um deles temendo enfurecer os outros. Finalmente um dos pretendentes, Odisseu (cujo nome latino era Ulisses), rei de Ítaca, resolveu o impasse propondo que todos os pretendentes jurassem proteger Helena e o marido que ela escolhesse, qualquer que fosse. Helena então se casou com Menelau, que se tornou rei de Esparta. Helena teve uma filha com Menelau, Hermíone. A sua fuga com o príncipe troiano Páris desencadeou a famosa Guerra de Tróia. Após este acontecimento, foi recuperada pelo marido e levada de volta para Esparta, seu reino.
Enviar um comentário