21/09/06

violência educacional


Nos dias de hoje as pessoas são ensinadas a não ser maricas. Porque um maricas não reza a história. Por isso existe a cultura de violência como cura. Os carros têm um design mais agressivo e motores mais potentes, está na moda conduzir agressivamente, porque se não o fizer és um tótó. Ceder passagem ao outro? Não é educação, é tótó.
No telejornal o que vende é a histórias de violência. Os acidentes de na auto-estrada a malta abranda para ver como estão os carros e se há corpos com sangue. O futebol está muito violento, basta ver na RTP memória os jogos antigos, e comparar com o ultimo mundial. As artes em geral estão mais agressivas. As empresas tem que assumir competitividade e agressividade se não ficam para trás. Para seres um bom gajo na cama, tens que dar umas com força. ser gentil na cama és um cócó. A roupa da moda são mais rasgadas, sujas, salpicadas de tinta. A moda dos despenteados e das cristas já não são só dos punks. Os desportos radicais urbanos. Publicidade chocante é a que se fala mais. Se esperar pelo boneco verde no semáforo para passar na passadeira és um merdas. se não responder à letra uma provocação de outra pessoa, não é educação, és maricas, um coninhas.
O quê? Nunca andaste à porrada? Ui, que paneleirote.
Não andas mais que 120 kmh, tchhh... Assim não vais longe!
Enviar um comentário