30/09/05

made in USA


Como tirei a carta de condução há 2 anos e pouco, não passei por aquele cliché da juventude (e não só) de fazer sexo na viatura estacionada perto do mar com uns quantos carros em paralelo a fazer o mesmo. É uma ideia importada dos Estados Unidos da América, essa, e aquela de passar o braço por trás da rapariga com quem fomos ao cinema fingindo que estamos a espreguiçar. E como não tinha carro também não levava as namoradas à porta de casa e dar o beijo no alpendre.
Tentar recuperar o que ficou para trás nos dias de hoje, já não é a mesma coisa. É um pouco o que se passa com os homens na “crise da meia-idade” compram grandes carros para engatar as miúdas, tentam voltar no tempo.
Gajo que é gajo (confiante) não necessita de grandes carros (artefactos) para conquistar alguém.
Enviar um comentário